tratamento termoacustico do motorcasa

Considerando que o veículo deve estar constantemente exposto às variações de temperatura ambiente, ora recebendo incidência direta de luz solar, ora pernoitando exposto a frio intenso, faz-se necessário revestir internamente sua carroceria com material de baixa condutividade térmica, que dificulte o seu aquecimento ou resfriamento excessivos, garantindo o conforto de seus ocupantes e preservando objetos, alimentos e equipamentos.

Atente que a condutividade térmica pode variar conforme a qualidade do material, sendo os valores adiante apresentados apenas estimados.

Carro quando é quente, é muito quente; e quando é frio, meu amigo... Se você já dormiu dentro de um veículo comum, sem proteção térmica e exposto ao tempo, sabe o quanto ele pode ficar gelado na madrugada, mesmo em noites de verão, aquecedores ou aparelhos de ar condicionado sozinhos não resolvem muita coisa.

Como o motorhome permanece estacionado freqüentemente em ambientes ruidosos, carece igualmente de um tratamento acústico adequado para que a merecida noite de repouso após um dia de muitas atividades divertidas não se transforme em um pesadelo.

CONHEÇA ALGUNS MATERIAIS FÁCEIS DE ACHAR E DE USAR

O peso e a espessura dos materiais utilizados para essa finalidade deverão interferir o mínimo possível no peso e no espaço interno do motorhome e eles deverão ser ou maleáveis o bastante para sua aplicação em saliências e reentrâncias da estrutura da lataria ou, caso sejam rígidos, ser recortados com absoluta precisão a fim de evitar-se ao máximo que fiquem espaços vazios.

Fundamental ainda ter-se em consideração a neutralidade dos revestimentos quanto à propagação de chamas e que, cumulativamente, sejam inertes, não provocando danos à saúde humana e ao meio ambiente. Observe que cada material abaixo descrito tem um link no texto, caso seja de seu interesse, acesse as páginas externas para saber mais detalhes sobre eles.

AS TRADICIONAIS PLACAS DE ISOPOR

O poliestireno expandido (EPS) popularmente conhecido pela marca Isopor tem sido empregado com eficácia há muito tempo para manutenção da climatização interna tanto de veículos de passageiros quanto de compartimentos de carga em veículos de transporte e atenua consideravelmente a propagação de ruídos.

Extremamente leve, disponível no mercado a custo acessível, auto-extinguível em contato com o fogo e de fácil aplicação, o Isopor pode compor a barreira térmica de nosso campervan e sua aplicação deve ser feita por colagem de placas cuidadosamente recortadas por toda a superfície interna das paredes e teto do compartimento originalmente destinado a carga, em meu caso agora destinado à casa sobre rodas, atentando-se ao quanto sua espessura irá interferir nas medidas originais do veículo, especialmente em relação à altura. O menor em condutividade térmica e portanto melhor isolante, tem o valor em torno de 0,025 W/m.K.

Sua aplicação no piso deve ser evitada, exceto se a pessoa que realizar o trabalho souber muito bem o que está fazendo, sob risco de afofamentos e até afundamentos em partes do piso e danos ao material nos pontos próximos à passagem do escapamento sob a carroceria devido ao calor constante e excessivo irradiado por ele.

Importante: a fixação de chapas de isopor em carrocerias deve considerar a possibilidade de produção de ruídos por atrito (chiados) quando da movimentação do veículo, além de uma boa colagem, pode-se recobrir as chapas com um material mais flexível e macio, como feltro do tipo usado para forração de assoalho de automóveis e interior de caixas de som, lã de vidro ou outro.

MANTAS DE LÃ DE VIDRO ALUMINIZADAS

No mercado especializado em tratamento térmico e acústico é possível encontrar mantas de lã de vidro com revestimento aluminizado a um custo bastante razoável e com a vantagem de ser muito maleável, favorecendo sua aplicação naquelas reentrâncias e saliências tão abundantes na carroceria do furgão, podendo ser usada à vontade nas paredes, no teto e até mesmo no piso, dependendo do revestimento a ser aplicado sobre ela, com cautela para que não fique demasiado mole e não prejudique muito a altura interna para circulação de pessoas.

Pode ser usada conjuntamente com isopor ou lã de rocha e requer cuidados especiais no manuseios, por soltar muitas partículas finas que podem provocar desde irritação na pele e mucosas até danos mais severos ao aparelho respiratório, portanto é severamente recomendável usar EPIs: luvas, botas, macacão com touca, óculos com laterais fechadas e máscara respiratória. Sua baixíssima condutividade térmica se situa em torno de 0,030 W/m.K.

PAINÉIS OU MANTAS DE LÃ DE ROCHA

Eu não fui pessoalmente ver, entretanto várias pessoas da área garantem que a lã de rocha é o material "da moda" nos Estados Unidos quando o assunto é tratamento térmico de motorhomes, por ser fácil de aplicar tanto em placas quanto na forma de manta, com ou sem revestimento aluminizado ou acabamento, por resistir bravamente a temperaturas extremas e ao fogo e proporcionar um isolamento termoacústico efetivamente bem significativo. E também é extremamente leve e fácil de ser cortada e aplicada no veículo e tem condutividade térmica em torno de 0,035 W/m.K.

MANTAS E PLACAS DE CORTIÇA

A condutividade térmica da cortiça é bastante variável, mesmo submetida a processos industriais, pois se trata de produto orgânico obtido da casca de uma árvore, o sobreiro, entretanto pode-se dizer com certa tranquilidade que ela se situa na faixa de 0,39 para as mantas melhor processadas a 0,75 em alguns materiais mais voltados à decoração, raramente chegando a 1,00 W/m.K, no caso de alguns ladrilhos.

Mesmo assim é pobre se comparada aos demais materiais até aqui apresentados, mas em contrapartida há fabricantes que garantem atenuação acústica superior a 30dB.

Estes são apenas alguns dos muitos materiais que podem ser usados para fins de tratamento termoacústico veicular, mas dificilmente você vai achar outros tão bons ou melhores, tão fáceis de encontrar no mercado e a baixo custo como eles e você também pode fazer um uso combinado de dois ou mais materiais, aumentando a eficiência do tratamento termoacústico.

CELOTEX - FIBRA VEGETAL PRENSADA

Analisando algumas conversões de veículos feitas por europeus, verifiquei que alguns auto-construtores usavam o celotex, um tipo de chapa confeccionada com serragem de madeira ou bagaço de cana e resinas que por aqui ficou popular por ser usado em quadros de aviso em empresas.

Parti para a pesquisa de sua eficiência perante os propósitos deste blog e os valores de condutividade térmica que encontrei ficavam na média de 0,065 W/m.K.

Considerando que neste caso quanto menor o valor, melhor o desempenho térmico, o celotex perde em eficiência para os materiais anteriormente pesquisados. No quesito acústica, os valores obtidos eram semelhantes aos da cortiça.

O lado positivo desse material é que ele pode ser usado exposto, porque geralmente é comercializado com acabamentos texturizados e coloridos para uso em forros para casas e escritórios.

Quer sugerir algum material para os leitores do blog? Mande seu comentário.

4 comentários:

  1. Ainda não cheguei a uma conclusão, mas vou avaliar também o uso de espuma de poliuretano projetada. Não existe muita oferta no mercado, e ainda não consegui avaliar o custo. Mas conheço o produto. Acho que vale a pena explorar essa opção.

    ResponderExcluir
  2. Olá. E EVA? Alguém já usou e sabe se seria uma opção boa? Me parece ter mais capacidade de isolamento. se bem que é um pouco mais cara, mas também faria menos barulho de contato.. Obrigado.

    ResponderExcluir
  3. Olá. E EVA? Alguém já usou e sabe se seria uma opção boa? Me parece ter mais capacidade de isolamento. se bem que é um pouco mais cara, mas também faria menos barulho de contato.. Obrigado.

    ResponderExcluir

Dê a sua opinião.