um exemplo a ser seguido

Você, empresário, gerente, amigo, parente de proprietário de posto de combustíveis, loja de conveniência, preste atenção nisto.

Está em plena ascenção no Brasil uma modalidade bastante peculiar de turismo, a prática de autocaravanismo, o uso de trailers, campers e motorhomes (ou motor-casas) para viagens.

E se você enxergar nisso uma oportunidade de negócio, pode atrair esses viajantes para o seu estabelecimento, faturando com a venda de combustível, alimentos, bebidas e outros itens e com a prestação de serviços.

 
dica do tio: se quiser ver melhor, clique nas fotos que elas aumentam

Há pouco eu estive vendo que em Lamego, Portugal, acaba de ser implantado mais um ponto de apoio para autocaravanas anexo a um posto de serviaoss (veja nas fotos), em toda a Europa isso é muito comum.

Como funciona?

O posto instala um ou mais pontos de coleta de esgoto, para os usuários de motorhome descarregarem os detritos de seus tanques e uma ou mais torneiras com água potável, para que eles possam reabastecer seus pequenos reservatórios. Simples assim.

Se o posto tiver também como diferenciais local para banho com banheiros realmente bem cuidados, lavanderia, tomadas de eletricidade para recarga de baterias de aparelhos, sinal de internet wi-fi e outras regalias, tanto melhor, muitos viajantes irão se beneficiar e o posto terá muitos clientes e muita boa propaganda.

Pense sobre isso. A empresa que se destaca é a que investe e inova.

PERMISSÃO PARA PASSAR A NOITE

Outra mãozinha que você pode dar ao viajantes, se houver espaço, é permitir que eles estacionem em uma área de seu pátio durante a noite, para dormir.

Certamente ao encontrar um local seguro para pernoitar, o aventureiro vai aproveitar para encher o tanque e tomar uma cervejinha na sua loja de conveniência, comprar cigarro*, tomar um café da manhã bem gostoso e postar na internet a boa impressão que teve do lugar antes de seguir viagem.

*Este blogeiro adverte que fumar é feio, cheira mal e é prejudicial à saúde, mas compreende que cada um sabe o que faz da própria vida!

navegadores GPS para celular


Quando surgiram os primeiros aparelhos para navegação por sistema de posicionamento global - GPS - eu ainda demorei um pouco para me convencer que valeria a pena usar, ainda carregava e ainda carrego por segurança o bom e velho guia de estradas e eventualmente algum guia de alguma cidade maior e ainda rabisco ou imprimo pequenos roteiros com pontos de parada, principais mudanças de direção, etc.

Me rendi finalmente ao aparelhinho, mas durou pouco, logo me adaptei à tela menor do smartphone, então descartei o tijolinho e passei a navegar eletronicamente apenas com o telefone celular.

Experimentei vários aplicativos de navegação e me adaptei muito bem a dois deles: Waze e Here, sendo o primeiro mais adequado, a meu ver, para encarar os congestionamentos das metrópoles e o outro ideal para grandes deslocamentos pelas quebradas e pelas estradas pouco servidas por sinal de internet. Ambos são gratuitos e funcionam com os principais sistemas operacionais usados em smartphones.

Também tive uma certa afeição com o Oi Mapas, mas ele me decepcionou no quesito atualização e eventualmente uso o Maps Google também.

Dica: tanto no Waze quanto no Here é possível apagar a tela do aparelho e receber apenas as orientações de voz, poupando um pouquinho de carga da bateria, mas procure manter o celular sempre conectado ao sistema elétrico do carro, porque a bateria própria do aparelho não dura muito tempo com o localizador funcionando e menos ainda com a tela sempre ligada.

WAZE PARA NAVEGAR NA CIDADE

De todos os aplicativos que já testei para navegação por GPS, considero o Waze como o melhor para uso nas grandes cidades, com ele eu consigo saber as condições de trânsito adiante, obter automaticamente opções de rota e até interagir, informando para os demais usuários próximos qualquer evento ou situação que interfira no trânsito, como acidentes, veículos quebrados, objetos na via e condições climáticas.

Mas para ser eficaz o Waze precisa de uma boa conexão com a internet e quando você transita distante das antenas de telefonia celular existe o risco de perder o sinal e se perder, isso já aconteceu comigo diversas vezes e, sem um mapa offline, tive que apelar para um guia impresso ou parar e perguntar para pessoas na rua, como fazia antes de existir navegadores GPS. Apesar dessa dependência de conexão ele tem recursos bastante interessantes e já me ajudou a fugir de problemas no trânsito um zilhão de vezes.

Atenção para um detalhe importante: os mapas do Waze são editados por pessoas como você e eu (que sou editor cadastrado) e já aconteceu de eu ser surpreendido por erros graves na identificação de vias e já cheguei a dar uma volta gigantesca por conta de um simples erro no sentido de tráfego que algum editor distraído cometeu, quando detectei o problema, eu próprio o corrigi.

O HERE É MEU PREFERIDO OFFLINE 

Depois que experimentei o Here, não tive até hoje os mesmos problemas do Waze com perda de sinal, porque ele funciona perfeitamente desconectado, usando como referência apenas o sinal de satélite, o que confere ao aplicativo a vantagem de continuar fornecendo orientação mesmo em ruas de bairros distantes e entre obstáculos como prédios e morros.

Além disso ele tem uma interface bem mais simples, a carinha dele é tão espartana que dá a impressão de ser fraquinho, mas não é, a sua simplicidade ajuda a fazer dele um aplicativo mais eficaz.

O Here é o meu xodó na estrada, porque além de não depender de antenas, me economiza umas moedinhas com a conta de internet no celular, com ele eu ainda não fiquei na mão nem na área urbana e nem no meio do nada.

Espero ter ajudado com a indicação desses apps e desejo de coração que você faça sempre viagens muito agradáveis, deixando um pouco de lado as parafernálias eletrônicas e curtindo mais a natureza , as pessoas que são importantes para você. Curta a vida. Be happy!