viajando para bonito no pantanal

Um dos principais destinos de eco-turismo do Brasil, o município faz jus a seu nome. Suas belezas naturais encantam e convidam o viajante a ficar mais um pouquinho e a voltar sempre. Lá você pode mergulhar em águas claras e nadar junto com cardumes de peixes coloridos ou apenas flutuar, observando a riqueza da fauna aquática.

Trilhas, cavernas, paredões, cachoeiras, corredeiras, muito verde e paz para descansar da agitação da cidade grande, tudo isso espera por você em Bonito, no Mato Grosso do Sul. Tire uns dias para relaxar e leve sua câmera, você vai registrar imagens espetaculares para rever quando pintar a saudade e mostrar para os amigos.

Este é o melhor período do ano para quem quer praticar flutuação ou mergulho em suas águas cristalinas, pois além de raramente ocorrer chuva no inverno, garantindo a transparência da água, o número de visitantes entre junho e agosto é bem menor. Entre os meses de dezembro e março a natureza se faz mais exuberante por conta do período chuvoso, mas a própria chuva que traz viço à flora pantaneira pode ser um contratempo em seus passeios, convém reservar um período mais prolongado de permanência.


Com informações e imagens dos sites da empresa de viagens e turismo CVC, da prefeitura de Bonito, dos locais para deixar ficar com seu motorhome, trailer ou camper, do aplicativo campingRVs e outras fontes. 

PRINCIPAIS ATRATIVOS DE BONITO

Gruta do Lago Azul

Sucesso absoluto entre os turistas, a Gruta do Lago Azul tem belas formações rochosas compostas por minerais raros e um lago fascinante com cerca de 80 metros de profundidade, cuja água apresenta um tom azulado espetacular. Fica uns 20 quilômetros da cidade e por questões de segurança e preservação não é permitido nadar em suas águas. Nessa gruta foram achados fósseis que indicam a presença de grandes mamíferos pré-históricos naquela área a milhões de anos.

Gruta de São Mateus

Essa fica pertinho do centro, só uns 2 quilômetros e apresenta colunas, estalactites e estalagmites formados pela ação da água que  ao longo de milhares de anos depositou minerais pendendo do teto e se projetando do solo.

Museu Cultural

Ao sair da Gruta de São Mateus o visitante é convidado a conhecer o Museu Cultural Kadiwéu, que tem em seu acervo inúmeros objetos e utensílios antigos e diversos animais empalhados, ótimo programa cultural para fazer com as crianças.

Mirante 360º

E antes de voltar para o seu motorhome para um banho morno e relaxante, pare mais alguns instantes para apreciar a vista da cidade e seu entorno no mirante e aproveite para tirar algumas fotos.

Parque Ecológico

Também pertinho do centro, a um punhado de passos do aeroporto, o Parque Ecológico do Rio Formoso proporciona a você a oportunidade de desfrutar de passeios a cavalo, passear de mountain bike, caminhar, descer as corredeiras de boia-cross, apreciar a exuberância da natureza sobre uma prancha de standup paddle, mergulhar ou flutuar com snorkel, além de tomar um tererê, versão gelada do tradicional chimarrão para refrescar a goela e abrir o apetite para as delícias da culinária local.

Praia da Figueira

Situada em um lago, a praia possui um barzinho e quiosques para o visitante molhar a saliva com um suco de frutas e equipamentos de lazer como pedalinho, tirolesa, quadriciclo, bicicleta, caiaque, espaço para prática de vôlei de praia, biribol, mais flutuação...

Fazenda Ceita Corê

Rica em vegetação nativa, trilhas e cachoeiras com direito a banho em piscinas naturais de água claríssima, mergulho junto à nascente do Rio Chapeninha e passeios de canos, a fazenda fica a 36 quilômetros do centro e tem redário para você ficar contando nuvens depois de saborear um peixe delicioso em seu restaurante.

Recanto Ecológico Rio da Prata

Flutue com snorkel nas águas límpidas e de coloração ora esvredeada, ora azulada do Rio Olho D'Agua, no Recanto Ecológico Rio da Prata, deliciando seus olhos com a beleza incomparável da flora e da fauna subaquáticas.

Fazenda São Geraldo e Passeio da Nascente Azul

Outros lugares muito agradáveis para flutuação nas águas do Rio Sucuri e do Rio Bonito são respectivamente a Fazenda São Geraldo e a Nascente Azul.



UM POUCO DA HISTÓRIA DE BONITO

O texto a seguir é cópia fiel de publicação no site oficial da Prefeitura de Bonito.

O núcleo habitacional que se transformaria na sede do Município de Bonito, iniciou-se em terras da Fazenda Rincão Bonito, que possuía uma área de 10 léguas e meia e foi adquirida do Sr. Euzébio pelo Capitão Luiz da Costa Leite Falcão, que aí se aportara em 1869, e é considerado o desbravador de Bonito, tendo sido também seu primeiro escrivão e tabelião. A Lei Estadual nº 693, de 11 de junho de 1915, cria inicialmente o Distrito de Paz de Bonito, com área desmembrada do Município de Miranda e a este subordinado administrativamente.

Foi fundada em 1927 e com a criação do território Federal de Ponta Porã, pelo Decreto-Lei nº 5.839, de 21 de setembro de 1943, é lhe anexado como Distrito de Paz de Miranda. Por força do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias da Constituição Federal, é reintegrado ao estado de Mato Grosso, na mesma situação de Distrito pertencente ao Município de Miranda. Finalmente a Lei Estadual nº 145, de 2 de outubro de 1948, eleva-o a categoria de Município, tendo por sede a cidade de Bonito, constituindo termo judiciário da Comarca de Aquidauana, com um único Distrito, o da sede municipal, situação mantida pelo Decreto nº 1.738, de 30 de dezembro de 1953, que fixou o quadro territorial administrativo-judiciário do Estado, para vigorar no quinquênio 1954-1958.

Em 1977 o município passa a fazer parte do atual estado de Mato Grosso do Sul.

LUGARES PARA FICAR COM SEU MOTORHOME

Segue lista com lugares para ancorar seu motorhome e desfrutar de todas essas delícias da natureza. Sempre ligue antes para confirmar disponibilidade, sujeito a alterações sem prévio aviso.

Pousada Camping do Peralta

Rua Ari Silva Machada, 500 - Bairro Formoso
(67) 3255-1901 e 9986 4711

No site da pousada você encontra informações sobre passeios, sobre a cidade e o pantanal, como chegar a Bonito, a estrutura da cidade, um calendário de eventos e muitas fotos.


WGS84 S21º07.111 W056º30.050’
G/M/S S21º07’6.66” W056º30’03”
Decimal S-21.11852 W-56.50083


Camping e Alberque da Juventude

R. Lúcio Borralho, 716
(67) 3255-1462 e 3255-1022

Encontre no site do Bonito Hi Hostel imagens espetaculares, dicas sobre despesas e o que levar na mochila ao visitar Bonito, entre outras informações muito úteis.


WGS84 S21º07.341 W056º30.135’
G/M/S S21º07’20.46” W056º30’8.10”
Decimal S-21.12235 W-56.50225


Pousada Santa Clara

Fica um pouco longe de bonito, na verdade a Fazenda Santa Clara está situada no município de Corumbá, mas é uma opção a mais para quem se aventura pelo pantanal.

Estrada Parque, Km 22 - zona rural - Corumbá - MS
(67) 3384 0583 e 9954 0404, cel. da pousada (67) 9939 3570
Contato: Av. Vitor Meireles. 125 (a 150 m do novo Terminal Rodoviário, sala 12). Universitário-Campo Grande-MS.

WGS84 S19º26.817 W057º4.517’
G/M/S S19º26’49” W057º04’31”
Decimal S-19.44694 W-57.07528



UMA LENDA BONITENSE

Enterros da Guerra do Paraguai
(fonte: site Bonito Hi Hostel)

A região Sudoeste do antigo Estado de Mato Grosso foi palco da Guerra do Paraguai, ocorrida entre 1865 e 1870, onde muitos combates violentos entre as tropas brasileiras e paraguaias aconteceram. Também os índios participaram da guerra, tanto ao lado de brasileiros como de paraguaios.

Nessa época os assaltos e saques nas fazendas tornaram-se freqüentes, obrigando os colonos e fazendeiros a mandarem suas famílias para longe, às vezes fugindo junto. Existem relatos de famílias e empregados que viveram escondidos nas matas da região até o final do conflito, alimentando-se de caça e do gado solto nos pastos

Conta-se que essas famílias, com medo dos assaltos, enterravam seus bens e riquezas em potes ou baús nos campos, às vezes perto da casa da propriedade, outras em mangueiros (currais na linguagem regional) ou ainda sob árvores frondosas. O objetivo era de recuperar esses Enterros após o término da guerra, tomando posse de suas propriedades abandonadas

Porém muitas dessas famílias acabaram morrendo ou desaparecendo, e as riquezas ficaram desaparecidas nos campos da região. Aqui começa a lenda dos Enterros. As pessoas que sabiam dessas histórias começaram então a procura pelos potes perdidos nos campos, seguindo referências incertas.

Os espíritos dos fazendeiros mortos ajudavam a encontrar seu tesouro escondido, comunicando-se através de sonhos com seus descendentes, mostrando o local exato onde este se encontra. Daí é só tentar identificar na região o que foi visto no sonho.

Às vezes pode acontecer de algumas pessoas que não são descendentes dos antigos fazendeiros também terem essa visão em seus sonhos, em forma de fogo queimando em um determinado lugar. Quem sonhar não pode de maneira alguma contar o que viu a outras pessoas, com risco de nunca encontrar o Enterro. Logo de manhã, deve sair em busca do local sonhado, que estará marcado com labaredas de fogo. Ao encontrá-lo, precisa cavar enquanto reza fervorosamente, sem desistir, pois assim que iniciar a escavação, os espíritos dos fazendeiros estarão tentando evitar a retirada do seu eterno tesouro. Quando finalmente retirar o Enterro, essas assombrações vão finalmente descansar de seu longo período de guarda.

Existem relatos de inúmeras pessoas que encontraram os Enterros na região. Nunca são identificadas com certeza, visto que teriam medo da maldição que recairia sobre eles se revelassem este segredo. Passam a vida rezando pela alma dos mortos que deixaram sua herança para desconhecidos do futuro.

(Maria Antonietta Castro Pivatto* in Comtur)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê a sua opinião.